O mundo submerso de Jason DeCaires Taylor

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

É numa mistura salgada de fotógrafo subaquático, instrutor de mergulho e escultor que Jason DeCaires Taylor vive sua vida. Criador da primeira galeria com esculturas submarinas, na costa de Granada, nas Antilhas, seu trabalho foi reconhecido como uma das 25 maravilhas do mundo pela National Geographic. E não para por aí.

Nascido em 1974, o inglês cresceu entre Europa e a Ásia, passando boa parte da sua infância explorando e se aventurando nos recifes de corais da Malásia. Desde então, Jason desenvolveu uma ligação forte com o mar e um grande interesse pela conservação da natureza.

A ideia de criar galerias de arte em baixo d’água surgiu quando ele buscava dar um novo sentido para as suas esculturas. Com a natureza sempre presente na sua vida, Taylor passou a buscar uma forma de arte que além de interagir, também contribuísse com o meio ambiente.

Jason começou a fazer esculturas que se transformam em recifes de corais artificiais. Com Ph neutro, elas servem de abrigo para peixes, lagostas, esponjas, ouriços-do-mar e outras espécies. As obras também diminuem a pressão sobre os corais, que nos últimos anos têm sofrido danos por causa do turismo e estão em risco de extinção.

Além da galeria em Granada, o artista também criou o MUSA, um museu subaquático em Cancun, no México. Ele abriga uma série de 450 esculturas com vida própria, onde corais, esponjas e peixes tomaram conta de pianos, pratos, bustos antigos e até de um Fusca.

É de tirar o fôlego, literalmente.

Tags: Fotografia, Oceano, Referência

Voltar para o blog