Os Últimos Nômades do Oceano

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Conhecidos como os últimos nômades aquáticos, os Bajau deixaram a terra para viver no mar, em pequenos barcos ou palafitas acima da água. Mergulhadores natos, eles são famosos pelo mergulho em apneia, indo a mais de 20m de profundidade e ficando até 5 minutos debaixo d’água.

Encontrados nas águas de Bornéu (que acolhe Indonésia, Malásia e Brunei), muitos saíram do mar para viver em Bali, por conta das pressões do governo da Indonésia. No entanto, há ainda aqueles que mantém viva a tradição dos ciganos do mar e só pisam em terra firme em ocasiões específicas, como casamentos e funerais.

Fotógrafo e antropólogo por natureza, James Morgan resolveu documentar os Bajaus, que estão lutando para se sustentarem por causa da prática excessiva de pesca com cianeto, que está acabando com os peixes. Junto com a World Wide Fund for Nature (WWF), ele desenvolve um trabalho de conscientização para que se restabeleçam práticas mais seguras e sustentáveis de pesca.

A crescente demanda de restaurantes de Hong Kong, China e Cingapura incentivou os Bajaus a usar métodos como dinamites e pesca com cianeto. Alguns já entenderam que a prática é ilegal e que a sua utilização, apesar de mais lucrativa, é nociva a longo prazo. Ainda assim, muitos utilizam essas técnicas predatórias destruindo corais e acabando com cardumes.

O oceano é tão importante para eles que se tornou uma religião e é reverenciado, assim como os espíritos que ali vivem. Alguns dizem até ficar enjoados em terra firme. Segundo Ana Kasim, uma das últimas nômades aquáticas, o mar será sua casa até o final da vida.

Esses sim são salgados.

Tags: Fotografia, Oceano, Referência

Voltar para o blog